Fantasmas | Ghosts /

Memórias de histórias passadas | Memories of past stories

Uma fábrica de vento

Foi num dia invernoso que visitei esta fábrica abandonada no concelho de Sintra. Tal como acontece na grande maioria dos locais junto à capital, os adjectivos que mais facilmente podem ser empregues são “vandalizada”ou “destruída”, mas há que ver por detrás das pinturas nas paredes e dos vidros partidos; sentir o pulso de uma história que ainda respira nos corredores sombrios e nas caixas abandonadas nos cantos das salas.

Pode entrar-se no complexo a pé e sem esforço. O portão dá acesso a um espaço amplo, onde se podem ver os vários edifícios da empresa, um parque de estacionamento e um campo de desporto ladeado por balneários.

Uma visita aos edifícios não dissipa as dúvidas sobre a sua utilidade. Aqui e ali, uma chapa junto à porta indica que determinada sala era um laboratório, mas no geral, as divisões despidas não dão a entender o motivo para o qual foram concebidas. Dentro de um dos pavilhões, uma área ampla oferece alguns raios de luz que, a medo, batem mortiços no chão. O vento forte faz levantar as chapas de zinco do telhado. O barulho abrupto que produzem é acompanhado pelo assobiar da corrente de ar que serpenteia por entre as portas abertas e as janelas partidas. Companheiro fiel desta fábrica, este vento assusta quem vem perturbar – ainda que com cuidado – as memórias que vivem nas paredes brancas deste local. Revela-se o dono do local, fazendo trovejar as chapas do telhado e obrigando-as a gritar de cada vez que as atinge.

De resto, o vento é o nosso companheiro. Parece libertar as memórias do local, fazendo-as viver durante uns minutos, enquanto se alimentam do nosso medo e das sombras tristes dos corredores frios. Não há vida nesta fábrica. É uma fábrica de histórias que já ninguém conhece. É uma fábrica do vento.

Breve nota de enquadramento:

Este complexo industrial pertenceu à empresa Laboratório Normal, do grupo Novartis. Segundo foi possível apurar, as instalações ficaram ao abandono a partir de 2006. É possível ver fotografias das primeiras instalações do laboratório em Mem Martins no blogue Restos de Colecção, onde pode ainda consultar-se um extenso trabalho sobre a história do laboratório e a sua evolução através das várias décadas do século XX.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

nota: na exploração deste local, o fotógrafo não danificou a estrutura ou o conteúdo da fábrica. A visita foi feita com grande reconhecimento pelo legado material e histórico da mesma, bem como com o maior respeito pelas memórias de quem lá trabalhou. Algumas das fotos estão (com dimensões mais generosas) na galeria “Fantasmas”, na página principal.

 

 

6 Comments

  1. sergio says:

    Ola,tudo bem. essa fabrica ainda se encontra abandonada? Se poder responder agradecia. Obrigado

  2. genilson mateus says:

    irmao boa tarde, gostaria muito de saber aonde é essa fabrica ??

  3. joao says:

    boas onde se localiza a fabrica ?

Leave a Comment